OFICINA E DISTRIBUIÇÃO CONTEXTUALIZADA DE MATERIAL DIDÁTICO NA ESCOLA ESTADUAL STEFANA CENTURIÃO GAMBARRA (DOIS IRMÃOS DO BURITI, MS)

OFICINA E DISTRIBUIÇÃO CONTEXTUALIZADA DE MATERIAL DIDÁTICO NA ESCOLA ESTADUAL STEFANA CENTURIÃO GAMBARRA (DOIS IRMÃOS DO BURITI, MS)

MARIANO, Vinicius da Silva de Castro (viniciussmmariano@gmail.com)1, MENDONÇA, Maria Beatriz Kiomido (beatriz.kiomido@gmail.com)1, SOUZA, Magno de Sá (magnosasouza10@gmail.com)2, LEANDRO, Kariny Góes (kariny_nyny@hotmail.com)2, FERREIRA, Ana Carolina (anacarolina2409@hotmail.com)2, BORTOLOTTO, Ieda Maria (iedamaria.bortolotto@gmail.com)3, AOKI, Camila (aokicamila@yahoo.com.br)4.

 

Resumo. A presente ação foi realizada na Escola Estadual Estefana Centurion Gambarra, no município de Dois Irmãos do Buriti, Mato Grosso do Sul, em novembro de 2017. A ação contou com a participação de aproximadamente 50 alunos do ensino médio do período matutino, onde foram realizadas palestras abordando a importância, conservação e principais impactos sobre o Pantanal e Cerrado. Após as apresentações os alunos puderam degustar receitas preparadas a partir de frutos nativos e aprender sobre coleta, formas de armazenamento e confecção de exsicatas. Para os profissionais da escola, como coordenadores, professores, merendeiras foram entregues materiais como exsicatas, carpoteca, livros de receitas e de alfabetização e varais com informações sobre os frutos do Cerrado e Pantanal para a divulgação e propagação das ideias do projeto. A equipe foi muito bem recebida e a atenção dos alunos para conosco foi um dos elementos que propiciou um melhor aproveitamento da ação para ambas as partes.

 

Palavras-Chave: Cerrado; Frutos nativos; Pantanal.

 

Introdução

                Cerrado e Pantanal são províncias fitogeográficas com elevada biodiversidade, para plantas há mais de 12.000 espécies descritas no Cerrado (Mendonça et al. 2008) e mais de 2.000 no Pantanal (Pott et al. 2011), sendo que esta riqueza é, sabidamente, subestimada. Parte considerável destas espécies apresenta potencial de uso humano, seja para remédios, artesanato, lenha, madeira, iscas e como alimento (Pott & Pott 1994, Pott et al. 2004, Damasceno-Júnior & Souza 2010, Bortolotto et al. 2015). A despeito disso, poucas espécies tem sido reconhecidas e utilizadas pela população na região, principalmente em ambiente urbano.

O Programa de Extensão “Valorização de Plantas Alimentícias do Pantanal e Cerrado”, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, tem como principal objetivo a divulgação e conscientização sobre o uso de frutos nativas na alimentação, seu potencial econômico e suas propriedades nutritivas, visando conciliar o uso econômico com a conservação. Uma das mais importantes ferramentas para conscientização é a educação ambiental, sendo que o escopo destas ações deve enfocar questões ligadas às práticas sustentáveis e a busca de soluções criativas para este fim. Neste sentido, realizamos palestras e oficinas práticas na Escola Estadual Stefana Centurion Gambarra, com o intuito de conscientizar os estudantes, não apenas sobre a biodiversidade que os cerca, mas também sobre a importância que o Cerrado e Pantanal tem para toda a sociedade.

 

Contexto

                A Escola Estadual Stefana Centurion Gambarra está localizada no município de Dois Irmãos, no estado de Mato Grosso do Sul, no ecótono entre Cerrado e Pantanal. A instituição atende a aproximadamente 730 alunos, nos períodos matutino, vespertino e noturno, oferecendo ensino fundamental, médio e EJA.

 

Procedimentos

Primeiramente foram realizadas palestras sobre a localização, biodiversidade, importância e principais impactos sobre o Cerrado e Pantanal. Atividades práticas sobre técnicas de coleta botânica e preparo de material para herbário e carpoteca foram conduzidos pelos monitores. Ao final, foi realizada a distribuição de livros contextualizados ao Pantanal (Souza 2012 a) e Cerrado (Souza 2012 b), livro de receitas Sabores do Cerrado (Damasceno-Júnior & Souza 2010) e algumas exsicatas e carpoteca para uso didático. Para o desenvolvimento das palestras foram utilizados o notebook, bem como o Datashow.

 

Resultados e discussões

            A ação foi realizada no dia 9 de novembro de 2017, com a participação de aproximadamente 50 estudantes da rede estadual de ensino. As atividades foram desenvolvidas no ensino médio, período matutino. Inicialmente houve apresentação do projeto de extensão e um pouco do seu histórico, em seguida foram feitas breves explicações sobre o Cerrado e Pantanal, sua biodiversidade, importância, conservação e como estão sendo afetados atualmente.

Após as apresentações, os alunos puderam acompanhar o processo de coleta e preparação de material botânico para incorporação em herbário e carpoteca. Informações a respeito da biologia de várias espécies úteis ao homem foram disponibilizadas aos estudantes, que posteriormente puderam experimentar receitas à base de frutos nativos, bem como consumir alguns dele in natura. Parte considerável dos alunos não tinha experimentado a maioria dos frutos apresentados pelos monitores, os quais foram: araçá (Psidium guineense Sw.), bocaiúva (Acrocomia aculeata Mart.), cumbaru (Dipteryx alata Vogel), jatobá (Hymenaea stigonocarpa Mart. ex Hayne), jenipapo (Genipa americana) e Guavira (Campomanesia sp.). Esta foi uma atividade que despertou o interesse de muitos alunos, que depois conseguiram reconhecer os frutos consumidos dentre os disponibilizados na carpoteca.

Gerar e disseminar informações sobre a biodiversidade são ações prementes para mudar a percepção sobre os ecossistemas naturais (Aoki et al. 2017). Neste sentido, a educação ambiental atua como ligação entre as ciências e as comunidades, figurando ferramenta útil à biologia da conservação e forte aliada para o alcance de sociedades sustentáveis (Benites & Mamede 2008). Como forma de subsidiar que ações como esta continuem sendo desenvolvidas na escola, ao final, foram entregues os livros “De A a Z Pantanal” (SOUZA 2012 a) e” De A a Z Cerrado” (SOUZA 2012 b), Sabores do cerrado (Damasceno-Júnior & Souza 2010), exsicatas e carpoteca para que os professores possam atuar como disseminadores dessas informações.

 

Considerações Finais

A ação realizada na Escola Estadual Stefana Centurion Gambarra, permitiu não só aos alunos, mas à equipe do projeto um grande ganho de conhecimento que ultrapassou as barreiras teóricas e os trouxe uma maior animação levando em conta as atividades práticas desempenhadas durante as apresentações e eventos. Iniciativas como esta são prementes para que ocorra valorização da biodiversidade local e, consequentemente, para que ocorra sua conservação e uso sustentável.

 

Referências

Aoki, C.; Gregório, G.C.; Silva, M.H.; Simão, C.H.; Teodoro, J.R.; Arrua, B.A.; Fina, B.G. 2017. Reconhecimento e valorização da fauna do Pantanal como instrumento de educação e estratégia de conservação. Revista de Educação Ambiental em Ação, 61.

BENITES, M. & MAMEDE, S.B. 2008. Mamíferos e aves como instrumentos de educação e conservação ambiental em corredores de biodiversidade do Cerrado, Brasil. Mastozoologia Neotropical, 15(2):261-271.

DAMASCENO-JUNIOR, G.A.; SOUZA, P.R.; BORTOLOTTO, I.M.; RAMOS, M.I.L.; HIANE, P.A.; BRAGA NETO, J.A.; ISHII, I.H.; COSTA, D.C.; RAMOS FILHO, M.M.; GOMES, R.J.B.; BARBOSA, M.M.; RODRIGUES, R.B. 2010. Sabores do Cerrado e Pantanal: Receitas e boas práticas de aproveitamento. 1. ed. Campo Grande: Editora UFMS. 141p.

MENDONÇA, R.C.; FELFILI, J.M.; WALTER, B.M.T.; SILVA Jr., M.C.; REZENDE, A.V.; FILGUEIRAS, T.S.; NOGUEIRA, P.E.; FAGG, C.W. 2008. Flora Vascular do bioma Cerrado: checklist com 12.356 espécies. In Cerrado: ecologia e flora (S.M. Sano, S.P. Almeida & J.F. Ribeiro, eds.). Embrapa Cerrados, Planaltina, p.421-1279.

POTT, A.; POTT, V.J. 1994. Plantas do Pantanal. Embrapa, Corumbá. 320 p.

POTT, A.; OLIVEIRA, A.K.M.; DAMASCENO-JUNIOR, G.A.; SILVA, J.S.V. 2011. Plant diversity of the Pantanal wetland. Brazilian Journal of Biology 71:265-273.

POTT, V.J.; POTT, A.; SOBRINHO, A. A. B. 2004. Plantas úteis à sobrevivência no Pantanal. IV Simpósio sobre recursos naturais e sócio-econômicos do Pantanal. Corumbá-MS.

SOUZA, P. R. 2012a. Pantanal de A a Z – vocabulário contextualizado aos pantanais da Nhecolândia, do Miranda-Abobral e do rio Paraguai. 1. ed. Campo Grande: Editora UFMS, 2012 a., 67p.

SOUZA, P. R. 2012b. Cerrado de A a Z: vocabulário contextualizado aos planaltos de Maracaju-Campo Grande e Taquari-Itiquira. 1. ed. Campo Grande: Editora UFMS, 67p.